sexta-feira, 21 de setembro de 2012

DIA DA ÁRVORE

A manutenção da vida na terra depende da consciência de se proteger as árvores e, conseqüentemente, a natureza num todo. É uma atitude inteligente, que há tempos é assumida por pessoas engajadas nesse sentido. Para se ter uma idéia, desde o século V, iniciativas desse tipo são tomadas, quando, na Suíça, era reservado um dia do ano para o plantio de árvores.
Também no século passado, instituiu-se a "Festa das Árvores", pela dedicação de um francês chamado Fourrier, cuja idéia foi largamente imitada por outras nações européias. Coincidentemente, nesse mesmo período, era comemorado, no estado de Nebraska, Estados Unidos, o "Dia da Árvore" - The Arbor Day -, em 10 de abril de 1872, dia instituído por J. Sterling Morton.
Aqui no Brasil, os responsáveis pela primeira comemoração da "Festa das Árvores" foram João Pedro Cardoso (valeparaibano de Pindamonhangaba - ) e Alberto Leofgren. O evento se deu na cidade de Araras, em São Paulo, no dia 7 de junho de 1902, com o respaldo das Leis Municipais números 18 e 19 de 1 e 2 de fevereiro de 1902 respectivamente. O objetivo ao se promover a festa era incentivar a plantação e a conservação do meio-ambiente.


VERDE TE QUERO VERDE

No ano seguinte ao evento, 3 de maio de 1903 exatamente, a mesma festa foi lembrada em Itabira, São Paulo, com o desfile de crianças a conduzir flores, mudas de plantas e instrumentos agrícolas. Na ocasião, dois andores iam devidamente enfeitados, contendo uma muda de magnólia e outra de pau-brasil, ambas plantadas por Coelho Neto.



Talvez por conta desse histórico, um decreto presidencial de número 55.795, datado a 24 de fevereiro de 1965, instituiu a Festa Anual das Árvores em todo o território nacional. Em razão das diferenças fisiográfico-climáticas brasileiras, o evento é festejado tanto na última semana do mês de março, no Norte e Nordeste, quanto na semana iniciada em 21 de setembro, nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul.



De acordo com o artigo segundo do decreto, a finalidade da festa é "difundir ensinamentos sobre a conservação das florestas e estimular a prática de tais ensinamentos, bem como divulgar a importância das árvores no progresso da pátria e no bem-estar dos cidadãos".


                                                       BAILARINA
                                                  João Pedro Cardoso
Engenheiro da comissão Construtora de Belo Horizonte; Inspetor da Agricultura de São Paulo; Chefe da Comissão de Geografia e Geologia do Estado de São Paulo; Em 1902 organizou a primeira festa da árvore no Brasil, no município de Araras , conseguiu mais tarde realizar essas solenidades em outros municípios ; Co- autor do Brasão de Pindamonhangaba.







LORENA 2013 - EXPOSIÇÃO NACIONAL DE FILATELIA JUVENIL 

08 a 12 de junho de 2013.

               Casa da Cultura de Lorena, Rua Viscondessa de Castro Lima, 10, Centro, Lorena/SP.

 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

GUERRA DOS FARRAPOS


Guerra dos Farrapos ou Revolução Farroupilha são os nomes pelos quais ficou conhecida a revolução ou guerra regional, de caráter republicano, contra o governo imperial do Brasil, na então província de São Pedro do Rio Grande do Sul, e que resultou na declaração de independência da província como estado republicano, dando origem à República Rio-Grandense. Estendeu-se de 20 de setembro de 1835 a 1° de março de 1845
A revolução, de caráter separatista, influenciou movimentos que ocorreram em outras províncias brasileiras: irradiando influência para a Revolução Liberal que viria a ocorrer em São Paulo em 1842 e para a Revolta denominada Sabinada na Bahia em 1837, ambas de ideologia do Partido Liberal da época. Inspirou-se na recém findada guerra de independência do Uruguai, mantendo conexões com a nova república do Rio da Prata, além de províncias independentes argentinas, como Corrientes e Santa Fé. Chegou a expandir-se à costa brasileira, em Laguna, com a proclamação da República Juliana e ao planalto catarinense de Lages. Teve como líderes: general Bento Gonçalves, general Neto, coronel Onofre Pires, coronel Lucas de Oliveira, deputado Vicente da Fontoura, Pedro Boticário, general Davi Canabarro, coronel Corte Real, coronel Teixeira Nunes, coronel Domingos de Almeida, major Vicente Ferrer de Almeida,coronel Domingos Crescêncio de Carvalho, general José Mariano de Mattos, general Gomes Jardim, além de receber inspiração ideológica de italianos da Carbonária refugiados, como o cientista e tenente Tito Lívio Zambeccari e o jornalista Luigi Rossetti, além do capitão Giuseppe Garibaldi, que embora não pertencesse a carbonária, esteve envolvido em movimentos republicanos na Itália. A questão da abolição da escravatura também esteve envolvida, organizando-se exércitos contando com homens negros que aspiravam à liberdade.



GENERAL BENTO GONÇALVES




GUERRA DOS FARRAPOS



GENERAL BENTO GONÇALVES



GENERAL BENTO GONÇALVES

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

LORENA 2013 - EXPOSIÇÃO NACIONAL DE FILATELIA JUVENIL

LORENA 2013 – Exposição Nacional de Filatelia Juvenil
REGULAMENTO PARTICULAR
Art. 1 º: A Exposição denominar-se-á LORENA 2013 - Exposição Nacional de Filatelia Juvenil, tendo por objetivo divulgar a Filatelia, em particular a Filatelia Juvenil;
Art. 2º: As entidades organizadoras são a Associação Cultural Filacap e o Clube Filatélico e Numismático de Lorena, com o patrocínio da Federação Brasileira de Filatelia (FEBRAF), da Federação das Entidades Filatélicas do Estado de São Paulo (FEFIESP) e da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e apoios da Prefeitura Municipal de Lorena, da Associação Brasileira de Jornalistas Filatélicos (ABRAJOF), da Associação Brasileira de Filatelia Temática (ABRAFITE) e do Lions Clube de Lorena.
Art. 3: A LORENA 2013 rege-se pelo Regulamento Geral das Exposições Filatélicas Brasileiras de Competição, da FEBRAF, no que couber, bem como pelo presente Regulamento Particular;
Art. 4: A Comissão Organizadora e o Comissário Geral acham-se relacionados em anexo e a LORENA 2013 será realizada em Lorena (SP) de 08 a 12 de junho de 2013, na Casa da Cultura de Lorena, Rua Viscondessa de Castro Lima, Centro, Lorena/SP, estando aberta ao público, diariamente, das 09h00 às 17h00;
Art. 5: A LORENA 2013 é aberta a todos os interessados, sem necessidade de premiação mínima anterior, nas seguintes faixas etárias;
                Seção O - jovens de 09 a 12 anos de idade;
                Seção A - jovens de 13 a 15 anos de idade;
                Seção B - jovens de 16 a 18 anos de idade;
                Seção C - jovens de 19 a 21 anos de idade;
Art. 6: A LORENA 2013 será competitiva, sendo que todos os participantes serão agraciados com diplomas e lembranças;
Art. 7: Havendo disponibilidade de espaço, poderão ser aceitas mais de 1 (uma) inscrição por participante;
Parágrafo 1 º: O Comissário Geral tem poderes para recusar qualquer coleção, desde que fora do regulamento;
Art. 8: A inscrição, de cada participação, será efetuada por intermédio do Comissário Geral, em formulário próprio, até 30 de abril de 2013, em 03 (três) vias, sendo que a 1ª via fica de posse da CO, a 2ª via deve ser juntada no interior da embalagem da coleção e a 3ª via fica de posse do expositor. Os formulários de inscrição acham-se disponibilizados nos sites da ABRAFITE E FEFIESP, nos endereços www.abrafite.com.br/eventos10.htm e www.fefiesp.com.br/eventos8.htm.
Art. 9 - A confirmação da admissão será comunicada ao expositor, até 03 de maio de 2013, após a seleção final;
Art. 10 - As participações que forem encaminhadas por via postal devem estar de posse da CO até 04 de junho de 2013 e as entregues pessoalmente até 06 de junho de 2013. A desmontagem ocorrerá em 13 de junho de 2013;
Art. 11 - Acham-se previstos eventos e atividades paralelas, cuja programação  será oportunamente divulgada;
Art. 12 - A embalagem das participações deve ser adequada para o transporte, respeitando-se as exigências da ECT quanto às condições de acondicionamento;
Art 13 - Todas as participações destinadas à exposição que forem enviadas por via postal deverão ser enviadas e serão restituídas por meio de SEDEX com valor declarado, respeitado o valor máximo estipulado aceito pela ECT. Neste caso, a unidade postal de sua cidade (Assessoria Filatélica, Seção de Filatelia ou agência postal) será orientada para receber sua coleção e encaminhá-la à Comissão Organizadora.  As coleções enviadas por via postal serão devolvidas por este meio, para a unidade postal onde tiverem sido postadas, salvo expressa recomendação em contrário.
Parágrafo 1 º - O expositor que desejar levar pessoalmente sua coleção deverá atentar para os prazos previstos para a montagem e a desmontagem. 
Art.14 – Verifique o Regulamento para a Classe Filatelia Juvenil e as Diretrizes para Julgamento nos sites da FEFIESP E ABRAFITE, www.fefiesp.com.br/juvenil.htm e www.abrafite.com.br/juvenil.htm.

INFORMAÇÕES GERAIS
01- Período: 08 a 12 de junho de 2013.
02- Local: Casa da Cultura de Lorena, Rua Viscondessa de Castro Lima, 10, Centro, Lorena/SP.
03- Os painéis expositores possuem 1,00m x 1,20m, com capacidade para exposição de 16 folhas de aproximadamente 22 cm x 29 cm.
04- Não há taxa de inscrição.
05- Prazos a serem atendidos:
-Inscrição de Expositores: 30 de abril de 2013;
-Confirmação da Inscrição: 03 de maio de 2013;
-Recebimento das participações:
*Via postal: 04 de junho de 2013.
*Pessoalmente: 06 de junho de 2013.
06- Endereço para envio das coleções:
EXPOSIÇÃO FILATÉLICA LORENA 2013
A/C FILACAP
CAIXA POSTAL 06
CACHOEIRA PAULISTA/SP
12630-970
07- O Comissário Geral da LORENA 2013 é o Sr. José Maurício do Prado – tels. 12-3101-1558/9151-3659; e-mail: filacap@bol.com.br.
08- Formulário de inscrição no endereço:  http://www.fefiesp.com.br/eventos8.htm.
09. O Coordenador da FEBRAF para esta exposição é o Sr. Geraldo de Andrade Ribeiro Jr. (gerarib@uol.com.br).
10- Mais informações sobre o evento poderão ser obtidas no blog www.lorenafilatelia.blogspot.com e no site: www.acfilacap.com.br.                                              
A FEBRAF colocará à disposição dos expositores e do público em geral, membros de seu quadro de jurados para explicações e informações sobre as coleções.
PARTICIPE - COMPAREÇA - DIVULGUE

terça-feira, 18 de setembro de 2012

SÍMBOLOS NACIONAIS

Conhecendo os Símbolos Nacionais
Todas as comunidades possuem símbolos que as representam e não poderia ser diferente no Brasil. No dia 18 de setembro, comemoramos o Dia dos Símbolos Nacionais. Mas quais seriam exatamente esses símbolos?
A resposta é simples: a Bandeira Nacional, o Hino Nacional, as Armas Nacionais e o Selo Nacional, que são regulamentados pela LEI No 5.700, de 1 de Setembro de 1971, que dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais, e dá outras providências.

Bandeira Nacional:
Nossa bandeira foi criada em 19 de novembro de 1889, quatro dias depois da proclamação da República. Ela foi projetada por Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos. O desenho foi feito por Décio Vilares e a inspiração veio da bandeira do Império, desenhada pelo pintor francês Jean-Baptiste Debret, com o círculo azul com a frase positivista "Ordem e Progresso" no lugar da coroa imperial.
Cada uma das quatro cores da Bandeira Nacional tem um significado: o verde simboliza nossas matas, o amarelo é o ouro (representando as riquezas nacionais) e o branco é a paz. O círculo azul representa o céu do Rio de Janeiro com a constelação do Cruzeiro do Sul, às 8h30 de 15 de novembro de 1889, data da Proclamação da República.
A única alteração na Bandeira Nacional desde então foi em 1992, quando a Lei No 8.421, de 11 de Maio de 1992, fez com que todos todos os novos estados brasileiros, bem como o Distrito Federal, sejam representados pelas estrelas, bem como estados extintos sejam suprimidos de sua representação.

Armas Nacionais:
As Armas Nacionais (ou Brasão Nacional) representam a glória, a honra e a nobreza do Brasil e foram criadas na mesma data que a Bandeira Nacional. O uso das armas é obrigatório nos edifícios-sede dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) dos governos federal, estaduais e municipais, além dos quartéis militares e policiais e em todos os papéis oficiais de nível federal (publicações, convites etc.).
As armas são formadas por um escudo redondo sobre uma estrela de cinco pontas e uma espada. Também há, no centro, o Cruzeiro do Sul. Há um ramo de café à esquerda e um de fumo à direita. A data que aparece nas armas, como você deve saber, é a proclamação da República.

Selo Nacional:
A finalidade do Selo Nacional é a autenticação dos documentos oficiais. Seu uso é obrigatório em qualquer ato do governo e em diplomas e certificados escolares.
Ele reproduz a esfera que existe na Bandeira Nacional. (L.L.)

Hino Nacional:
O Hino Nacional do Brasil tem letra de Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e música de Francisco Manuel da Silva (1795 - 1865). Foi oficializado pela Lei nº 5.700, de 1 de setembro de 1971, publicada no Diário Oficial (suplemento) em de 2 de setembro de 1971.



                                         ARMAS NACIONAIS - BANDEIRA NACIONAL

SELO NACIONAL  -    HINO NACIONAL

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

SEMANA DA ARBORIZAÇÃO VOLUNTÁRIA

Dia do Início da Semana da Arborização Voluntária - comemoração móvel do Estado brasileiro de São Paulo, conforme Lei Nº 13.575 de 3 de julho de 2009: semana que inclua o dia 21 de setembro.

Mini folha composta por quatro selos, dispostos em formato de cruz, que permite efetuar uma dobradura de quatro faces sobrepostas, cuja base apresenta uma lâmina em madeira de Cedro localizada no verso central da cruz. Os selos têm como elemento comum troncos de uma mesma árvore, em diferentes estágios de formação, e a palavra preservação, inscrita várias vezes, formando um solo gramado. O primeiro selo mostra a árvore adulta, cuja copa é composta pelos nomes de espécies de madeiras conhecidas no Brasil – Jacarandá, Cabreúva, Mogno, Peroba, Jatobá, Cedro, Imbuia, Andiroba, Ipê e Pau-brasil. O tronco apresenta a repetição da palavra VIDA, significando sua função de sustentar e desenvolver as espécies vegetais. Os demais selos representam as fases do crescimento da árvore, com os troncos abertos (vazados), de forma a permitir a visualização da lâmina de madeira (hotstamping) aplicada no fundo da dobradura.

sábado, 15 de setembro de 2012

ALEXANDER FLEMING DESCOBERTA PENICILINA

Alexander Fleming (East Ayrshire, 6 de agosto de 1881Londres, 11 de março de 1955) foi o descobridor da proteína antimicrobiana chamada lisozima e do antibiótico penicilina obtido a partir do fungo Penicillium notatum. estudou medicina na Universidade de Londres. Ele chegou à descoberta da penicilina e de suas propriedades antibióticas em 1928, ao observar uma cultura de bactérias do tipo estafilococo e o desenvolvimento do mofo a seu redor, onde as bactérias circulam livres. O laboratório de Fleming estava habitualmente bagunçado, o que resultou em uma grande vantagem para sua segunda importante descoberta. Em Setembro de 1928, Fleming estava realizando vários experimentos em seu laboratório e ao inspecionar suas culturas antigas antes de destruí-las notou que a colônia de um fungo havia crescido espontaneamente, como um contaminante, numa das placas de Petri semeadas com Staphylococcus aureus. Fleming observou outras placas e comprovou que as colônias bacterianas que se encontravam ao redor do fungo (mais tarde identificado como Penicillium notatum) eram transparentes devido a uma lise bacteriana. A lise significava a morte das bactérias, e no caso, das bactérias patogênicas (Staphylococcus aureus) crescidas na placa. Ainda que tenha reconhecido imediatamente a importância deste seu achado, seus colegas subestimaram-no.



sexta-feira, 14 de setembro de 2012

DANTE ALIGHIERI

Dante Alighieri nasceu em Florença em 1º de junho de 1265 e morreu em Ravena em 14 de setembro de 1321. Foi um escritor, poeta e político italiano. É considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana, definido como il sommo poeta ("o sumo poeta"). Seu nome, segundo o testemunho do filho Jacopo Alighieri, era um hipocorístico de "Durante". Nos documentos, era seguido do patronímico "Alagherii" ou do gentílico "de Alagheriis", enquanto a variante "Alighieri" afirmou-se com o advento de Boccaccio. Foi muito mais do que literato: numa época onde apenas os escritos em latim eram valorizados, redigiu um poema, de viés épico e teológico, La Divina Commedia (A Divina Comédia), que se tornou a base da língua italiana moderna e culmina a afirmação do modo medieval de entender o mundo. Nasceu em Florença, onde viveu a primeira parte da sua vida até ser injustamente exilado. O exílio foi ainda maior do que uma simples separação física de sua terra natal: foi abandonado por seus parentes. Apesar dessa condição, seu amor incondicional e capacidade visionária o transformaram no mais importante pensador de sua época.


DANTE ALIGHIERI
MOEDA BIMETÁLICA




DANTE ALIGHIERI
A DIVINA COMÉDIA




CENTENÁRIO DA SOCIEDADE
DANTE ALIGHIERI


LORENA 2013 - EXPOSIÇÃO NACIONAL DE FILATELIA JUVENIL

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

NASCIMENTO DE JUSCELINO KUBTISCHEK DE OLIVEIRA

Dia do Nascimento de Juscelino Kubitschek de Oliveira é comemorado no Estado brasileiro de Minas Gerais, conforme Lei Nº 11.902 de 5 de setembro de 1995, para marcar a data do nascimento do médico, militar e político brasileiro, Juscelino Kubitschek de Oliveira, que veio ao mundo em 12 de setembro de 1902 e que foi o 21º presidente do Brasil, tendo sido o 1º presidente do Brasil a nascer no século XX e o 1º presidente do Brasil eleito pelo voto direto nascido após a Proclamação da República brasileira, eleito o "Brasileiro do Século" em 2001 numa eleição que foi publicada pela revista brasileira, "Isto É".
JUSCELINO KUBTISCHEK DE OLIVEIRA
1902 - 2012

JUSCELINO KUBTISCHEK DE OLIVEIRA
1902 - 2012


JUSCELINO KUBTISCHEK DE OLIVEIRA
1902 - 2012

JUSCELINO KUBTISCHEK DE OLIVEIRA
1902 - 2012

DIA DO CIDADÃO HONORÁRIO DE BRASÍLIA

Dia do Cidadão Honorário de Brasília É comemorado no Distrito Federal brasileiro, conforme Lei Nº 3.808 de 8 de fevereiro de 2006, para marcar a data do nascimento do médico, militar e político brasileiro, Juscelino Kubitschek de Oliveira, que veio ao mundo em 12 de setembro de 1902 e que foi o grande impulsionador da construção da cidade brasileira de Brasília-DF, tendo participado da inauguração oficial da nova capital do Brasil em 21 de abril de 1961 durante o seu mandato como o 21º presidente brasileiro.

 

FUNDAÇÃO DE BRASÍLIA

 

MEMORIAL JK

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

LIONS CLUBE DE ATIBAIA

Parabenizamos os companheiros do Lions Clube de Atibaia pelo transcurso hoje, dos 53 anos de sua Carta Constitutiva.


PERU - LIONS CLUBE INTERNACIONAL









HISTÓRIA DA IMPRENSA NO BRASIL

Até a chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil, era proibida toda e qualquer atividade de imprensa — fosse a publicação de jornais, livros ou panfletos. Esta era uma peculiaridade da América Portuguesa, pois nas demais colônias européias no continente a imprensa se fazia presente desde o século XVI.
A imprensa brasileira nasceu oficialmente no Rio de Janeiro em 10 de setembro de 1808, com a criação da Gazeta do Rio de Janeiro, órgão oficial do governo português que tinha se refugiado na colônia americana. Pouco antes no mesmo ano, porém, o exilado Hipólito José da Costa lançava, de Londres, o Correio Brasiliense (com S), o primeiro jornal brasileiro — ainda que fora do Brasil. Enquanto o jornal oficial relatava "o estado de saúde de todos os príncipes da Europa, (...) natalícios, odes e panegíricos da família reinante", o do exilado fazia política. Embora (diferentemente do que muito se divulga) não pregasse a independência do Brasil, e tivesse um posicionamento político por vezes conservador, o Correio Brasiliense foi criado para atacar "os defeitos da administração do Brasil", nas palavras de seu próprio criador, e admitia ter caráter "doutrinário muito mais do que informativo".

CENTENÁRIO DO JORNAL "O ESTADO DE SÃO PAULO"

domingo, 9 de setembro de 2012

DIA DO MÉDICO VETERINÁRIO

Dia do Médico Veterinário - comemorado por brasileiros, para marcar a data do Decreto Nº 23.133 de 9 de setembro de 1932, que foi assinado pelo então presidente do Brasil, Getúlio Vargas, regulamentando a profissão dos veterinários brasileiros.


 
CHIPANZÉ




TIGRE

sábado, 8 de setembro de 2012

400 ANOS DA CIDADE DE SÃO LUÍS-MA

O selo apresenta na parte superior, em azul, no canto esquerdo, as carrancas do Forte do Ribeirão do Centro Histórico de São Luís, esculpidas em cantaria com biqueira em bronze. Ao meio, um “brincante” e seu boi, representando a festa do bumba-meu-boi - uma tradição que se mantém desde o século XVIII. Ao lado, os azulejos, trazidos de Portugal durante os séculos XVIII e XIX, que deram a São Luís o título de “Cidade dos Azulejos”. Abaixo, ícones históricos e arquitetônicos: à esquerda, a majestosa Catedral de São Luís (Igreja da Sé), atual Sede da Arquidiocese . À direita, o “Palácio dos Leões” - edifício sede do governo do estado do Maranhão. Sua história, sua arquitetura e acervo artístico fazem do Palácio o patrimônio ideal para entender a formação da identidade cultural maranhense. Foi utilizada a técnica de pintura.

400 ANOS DA CIDADE DE SÃO LUÍS-MA


CARIMBO COMEMORATIVO
400 ANOS DA CIDADE DE SÃO LUÍS-MA

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

DIA 7 DE SETEMBRO - DIA DA PÁTRIA

As Comemorações do Dia da Proclamação da Independência do Brasil tiveram início às 8 horas, na Praça Arnolfo Azevedo (Lorena-SP) com o hasteamento, dos Pavilhões do Brasil, do Estado de São Paulo e de Lorena.  Às 9 horas, na avenida
Targino V. Nunes a Banda do 5º BIL (Batalhão de Infantaria Leve), “Regimento Itororó” deu início ao desfile cívico-militar contando com a presença da população e de todas as forças vidas da nossa comunidade. O desfile será encerrado pelo 5º Batalhão de Infantaria Leve, com a tropa aprestada e as viaturas militares.


Dom Pedro I - Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim  
(12 de outubro de 1798 – 24 de setembro de 1834),
Recebeu a alcunha o Libertador, foi o fundador e primeiro monarca do Império do Brasil. Como Rei Dom Pedro IV, ele reinou brevemente em Portugal, onde também ficou conhecido como o Libertador e também como o Rei Soldado. Nascido em Lisboa, Pedro I foi a quarta criança do Rei Dom João VI de Portugal e da Rainha Carlota Joaquina, e assim membro da Casa de Bragança. Quando seu país foi invadido por tropas francesas em 1807, ele e sua família emigraram para o Brasil, a maior e mais rica colônia portuguesa.





Pedro Américo de Figueiredo e Melo
(Areia(PB), 29 de abril de 1843 - Florença(Itália), 7 de outubro de 1905)
Recebeu em vida as honrarias de Cavaleiro da Coroa da Alemanha e de Grão Cavaleiro da Ordem Romana do Santo Sepulcro.
É patrono da cadeira número 24 da Academia Paraibana de Letras.
Quadros mais conhecidos:
Independência ou Morte
 A Batalha do Avaí
A Batalha do Campo Grande
A Fala do Trono
Paz e Concórdia
Tiradentes esquartejado

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

SEMANA DA PÁTRIA

Para comemorar a Independência do Brasil, 7 de setembro, continuam hoje quinta-feira, 6 de setembro as Comemorações da Semana da Pátria na Praça Arnolfo Azevedo (Lorena-SP) com o hasteamento, às 8 horas, dos Pavilhões do Brasil, do Estado de São Paulo e de Lorena. A solenidade conta com a presença de alunos das escolas municipais, estaduais e particulares.

José Bonifácio de Andrada e Silva
É conhecido pelo epíteto de "PATRIARCA DA INDEPENDÊNCIA" por ter sido uma pessoa decisiva para a Independência do Brasil. Em 16 de julho de 1823, D. Pedro I demitiu o ministério e José Bonifácio passou à oposição. Após o fechamento da Constituinte, em 11 de novembro de 1823, José Bonifácio foi banido e se exilou na França por seis anos. De volta ao Brasil, e reconciliado com o imperador, assumiu a tutoria de seu filho quando Pedro I abdicou, em 1831. Permaneceu como tutor do futuro imperador até 1833, quando foi demitido pelo governo da Regência.


José Bonifácio de Andrada e Silva
  "PATRIARCA DA INDEPENDÊNCIA" 

DIA DO TAMBOR CRIOULA

Dia do Tambor de Crioula e seus brincantes - comemorado na cidade brasileira de São Luís-MA, conforme Lei Nº 4.349 de 21 de junho de 2004, em tributo dessa manifestação popular baseada na música, canto e dança, nascida como movimento de cunho profano religioso [originado nas senzalas dos afrodescendentes do Maranhão e misturando fé e diversão], que se tornou depois, uma das expressões mais populares nas casas de cultura afro maranhenses, retendo em si, traços africanos.


 
TAMBOR CRIOULA

DIA DO HINO NACIONAL

Dia do Hino Nacional - comemorado por brasileiros, para marcar a data de 6 de setembro de 1922, em que foi oficializada a letra do Hino Nacional do Brasil, escrita pelo Poeta, crítico literário, professor e ensaísta brasileiro, Joaquim Osório Duque Estrada.

Joaquim Osório Duque Estrada.